22/05/2017

Segurança Veicular e Eletroeletrônica, na pauta da nova política industrial

Amplo debate sobre  “Mobilidade Segura e Conectividade na Era Digital” foi promovido pela AEA

Diante do cenário atual, de extrema importância para a indústria automobilista brasileira com a conclusão do Innovar-Auto prevista para o final do ano e início da nova política industrial, a Rota 2030 – Mobilidade e Logística, com a participação técnica da AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, a entidade promoveu ontem (18), o 3º Seminário de Segurança Veicular e Eletroeletrônica no auditório da universidade Unip, em São Paulo (SP).

Com o macrotema “Mobilidade Segura e Conectividade na Era Digital”, o seminário trouxe em sua programação 10 apresentações de elevado nível técnico. “Hoje vamos contemplar conteúdos que propõem melhorias na área de segurança e incentivos para a conectividade, ou seja, temas atuais no mundo do compartilhamento com a infraestrutura disponível no País”, disse Edson Orikassa, presidente da entidade, durante abertura do evento.

O diretor de Estratégia da Bright Consulting, Paulo Cardamone, deu início às apresentações com a palestra ‘O Cenário de Tecnologias Veiculares Mundial Versus a Realidade Brasileira’. Na visão do consultor, ao avaliar os cenários futuros e visualizar a revolução tecnológica, serão quatro fatores invariantes que vão impactar a indústria: consumidor, novos players na cadeia produtiva, evolução tecnológica do automóvel global e serviços de mobilidade sob demanda.

“O comprador do veículo em 2025, a Geração Z, não conheceu o mundo antes da internet e funcionará como base de impulsionador devido a sua alta dependência tecnológica. Diante disso, é preciso, para quem busca gerenciar a indústria, avaliar os impactos, como a necessidade de maior interação virtual; preparar planos para atender esse consumidor”, exemplificou Cardamone.

Outra questão meritória apontada pelo diretor da Bright foi a evolução tecnológica do veículo. “No atual panorama, os veículos estão sendo comercializados com preços elevados e as vendas estão em baixa; a incorporação de tecnologia tende a aumentar ainda mais o valor dos automóveis. Vamos servir ao consumidor oferecendo um produto com preço adequado para a compra?”, questionou. Para Cardamone, é preciso acreditar no setor, mas no futuro a tendência é ter menor número de empresas, com redução efetiva de força trabalho e sistema de manufatura ajustado às necessidades de competitividade e produtividade global.

Em palestra Inspeção de Segurança Veicular, Marcos Scomparin, do Grupo CATA, opinou sobre o modelo ideal diante da temática de sua apresentação para a frota de veículos que circula no País. “Para que o consumidor não seja lesado, as inspeções de emissões e segurança devem ser realizadas na mesma estação, com periodicidade que depende da intensidade do uso da frota, o que podem variar entre um e dois anos, e que sejam implementadas em todo o País, respeitando as características de cada estado”.

Os benefícios da direção autônoma no segmento de pesados foram exibidos pelo palestrante Camilo Adas, da Mercedes Benz, durante apresentação “Caminhões Autônomos”. Na oportunidade, o executivo mostrou a evolução dos veículos da marca quando o assunto é eficiência e conectividade com resultados práticos que elevam a segurança, a produtividade e o conforto dos usuários.

“Ao conectar o veículo, o setor deve abrir duas grandes tendências: monetização e novos modelos de transporte, expandindo as oportunidades”, disse Luciano Alakija, da Cisco-Jasper, em palestra ‘Infraestrutura para o Veiculo Conectado e Autônomo’. Na avaliação de Alakija, “a conectividade é apenas o início; posteriormente teremos a infraestrutura das cidades, a compra de veículos, a indústria de manutenção, estacionamentos, ou seja, uma janela de oportunidade que vai requerer atenção por parte do setor”.

O secretário dos Transportes de Campinas/ SP, Carlos Barreiro, marcou presença no evento da AEA com palestra “Infraestrutura viária e os impactos nos acidentes de trânsito”, exibindo as atividades e iniciativas que contribuíram com a redução de emissões e acidentes de trânsito no município, de 74 mortes fatais 2016 no município contra 148 em 2012. Entre elas, incentivos no transporte público, com parte da frota 100% elétrica, faixas exclusivas e monitoramento.

De acordo com a apresentação ‘Proteção ao Pedestre GTR 09 / UN R.127 – Melhorias no Design dos Veículos’, ministrada por Sandro Alves, da Mercedes Benz, os próximos desafios para a segurança passiva é compatibilizar as estruturas do pára-brisa, coluna e teto para proteger também os pedestres, sendo que atualmente estas são fundamentais para garantir a integridade dos ocupantes do veículo.

Diante do principio de que o País é conectado, ocupando, por exemplo, a 3a. posição no ranking de acesso ao Facebook, com 99 milhões por dia, o palestrante Alexandre Guimarães, da General Motors, em apresentação ‘Comunicação no Carro Seguro’, exibiu avanços da telemática já implantadas no setor, como botão de emergência e pane elétrica ou mecânica, resposta automática em caso de acidentes 24 horas no ar, assistência na recuperação veicular, monitoramento em rota, entre outros.

Em complemento à apresentação de Sandro Alves, o engenheiro de Desenvolvimento da Honda, Guilherme Costa, em palestra “Proteção ao Pedestre”, comentou sobre as regulamentações que avaliam a proteção do pedestre atualmente e como foram evoluídas em âmbito global. “Para checar este desmembramento é preciso entender a dinâmica do atropelamento; considerar a proteção para o pedestre no design do veículo no estágio inicial da sua concepção”, disse o engenheiro.

O gerente de engenharia da Robert Bosch, Leimar Mafort, levou ao público do evento em palestra ‘AEB – Autonomous Emergency Braking’, as principais vantagens e o funcionamento do sistema. “Os freios de emergência autônomos, ou seja, sistemas de freios automáticos, utilizados com sensores, câmeras ou radares, conseguem determinar uma situação de emergência e acionar o sistema para que ele atue de forma independente. Já está disponível no mercado brasileiro, porém ainda com baixa taxa de aplicação, sendo que os seus benefícios estão ligados diretamente a redução de acidentes de trânsito. Para se ter uma ideia, após instalado no VW Golf na Europa, registramos queda de 45% de colisão”, diz. Mafort.

A apresentação ‘Evolução da Estrutura dos Veículos x Impacto Lateral’ foi ministrada por Arley Lombardi, da Applus IDIADA Group, e encerrou as atividades desta edição do Seminário da AEA destinada a engenheiros automotivos, técnicos de órgãos Municipais, Estaduais e Federais envolvidos no segmento; fornecedores de equipamentos, fabricantes de autopeças, pesquisadores, entre outros.

O próximo evento da entidade já tem data programada. O Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Combustíveis acontece no próximo dia 07 de junho, no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo (SP), com o tema “Inovação, Sustentabilidade e Impactos da Sociedade”.


Divulgação
Textofinal de Comunicação Integrada
Tel.: 11-3849-8633
textofinal@textofinal.com
Juliana Sih